10 dicas para melhorar a UX de seus artigos de blog [Checklist]

Tempo de Leitura, 10 Min Maxime Parra, 03/06/2021

Por trás de sua aparente simplicidade, a visita a uma página web gera uma grande quantidade de informações enviadas e processadas diretamente pelo Google.

Taxa de rejeição, tempo de permanência na página, número de interações… O buscador recolhe múltiplos dados para classificar o conteúdo da web e oferecer a melhor resposta possível às buscas realizadas pelos internautas.

Para agradar ao leitor (e consequentemente aos motores de busca), é preciso atenção especial à qualidade das páginas do Blog.

Pronto para receber os seus visitantes nas melhores condições? Aqui estão nossas 10 dicas para melhorar a experiência do usuário (UX) em suas postagens de blog.

Melhorar UX em blogs

#1 Escolha uma fonte fácil de ler

Antes mesmo de chegar ao final do artigo, o leitor percebe a sua formatação. Para captar e reter a atenção o máximo possível, o conteúdo deve, portanto, ter uma fonte agradável.

Mesmo que você queira destacar a originalidade do seu blog, é aconselhável priorizar a legibilidade do texto através de:

  • Uma cor de fonte diferente da cor de fundo de sua página (um bom caminho é o padrão da letra preta sobre o branco);
  • Um tamanho ideal de fonte, de modo que o público possa dedicar toda a atenção ao significado de suas palavras (e não para decifrar sua fonte);
  • Espaçamento consistente entre cada linha e cada caractere para uma leitura mais agradável (e para evitar que seu leitor leia acidentalmente a mesma linha várias vezes!);
  • Um comprimento de linha reduzido para tornar a leitura do conteúdo mais confortável. A quebra de linha frequente também permite mais espaço em branco em toda a página;
  • Parágrafos curtos (máximo de quatro ou cinco linhas), a fim de pontuar a leitura e articular claramente seu ponto, avançando uma ideia por parágrafo.

É bom saber

Algumas bibliotecas, como o Google Fonts, estão disponíveis para você navegar e visualizar as fontes mais relevantes.

Embora esses critérios pareçam se aplicar principalmente ao corpo do texto, é essencial garantir que essas práticas recomendadas sejam utilizadas em títulos e hiperlinks. Na verdade, o Google atribui grande importância à taxa de cliques em seus links internos e externos para julgar a relevância de seu conteúdo.

#2 Tenha uma estrutura de leitura “responsiva”

Como em 2021, mais de 60% das pesquisas do Google são feitas em celulares, oferecer conteúdo responsivo é uma obrigação.

O conteúdo responsivo deve se adaptar aos tamanhos de tela e recursos específicos, tanto no computador quanto em smartphones e tablets.

Nota

Idealmente, essas verificações devem ser realizadas na posição vertical e horizontal para smartphones e tablets, em todos os navegadores mais confiáveis ​​(Chrome, Firefox, Safari, Internet Explorer).

A conversão de conteúdo projetado para o computador em smartphone pode causar a perda de muitos elementos (gráficos ou técnicos), o que não ocorre geralmente ao contrário. Além disso, um artigo contendo imagens que não podem ser acessadas em um smartphone será fortemente penalizado pelo Google. 

O ideal, portanto, é desenvolver seu site para navegar em primeiro lugar em um smartphone. O serviço Google AMP gratuito ajuda a garantir que seu conteúdo seja totalmente responsivo.

#3 Adicione uma barra de progressão

Você provavelmente já experimentou isso antes: não há nada mais frustrante do que perder minutos preciosos navegando em artigos intermináveis ​​em busca de uma resposta simples.

Para poupar ao leitor essa perda de tempo e porque, após uma experiência de usuário infeliz, este pode nunca mais voltar ao seu blog, algumas ferramentas podem ser colocadas em prática.

Em primeiro lugar, a menção do tempo estimado de leitura permitirá ao internauta saber se o artigo, que acaba de encontrar, pode ser lido na íntegra no tempo de que dispõe ou se lhe é preferível alguns parágrafos para ir diretamente para a seção correta.

No entanto, mesmo que o seu leitor esteja pronto para se envolver na leitura integral do seu conteúdo, a concentração humana tem seus limites. Portanto, é aconselhável incentivá-lo com a ajuda de elementos de gamificação (capazes de tornar o processo de leitura mais leve e lúdico).

Por exemplo, você pode adicionar uma barra de progressão que se completa à medida do avanço da leitura, o que acaba guiando o leitor até a sua última palavra. Esta técnica também pode melhorar as estatísticas com os motores de busca!

#4 Envie um índice no início do artigo

Como o usuário espera uma resposta rápida a sua pergunta, é particularmente interessante resumir o conteúdo do seu artigo por meio de um índice localizado no topo da página, ou mesmo na barra lateral.

Desta forma, as legendas (tags H2 ou mesmo H3) do seu artigo serão listadas antes da leitura. O usuário pode então identificar diretamente as partes que podem interessá-lo sem perder mais tempo e até chegar lá com um clique por meio de uma âncora integrada.

É bom saber

essa prática é especialmente recomendada para artigos de guia e outros posts de SEO, cujo comprimento pode ser bem acima de 2.000 palavras. Sem um índice, esse conteúdo pode, na verdade, desestimular os usuários da internet e levá-los a abandonar a página.

#5 Refina a navegação

Embora escrever um artigo seja, sem dúvida, a tarefa mais demorada de qualquer projeto de conteúdo ou desenvolvimento de SEO, o fato é que qualquer página de blog deve pertencer a uma estratégia muito maior.

Pensando nisso, cada assunto abordado deve estar dentro de um mapeamento de SEO claro e estruturado, onde o novo artigo contribui para oferecer a melhor experiência do usuário possível.

Uma rede interna deve ser feita para encorajar a navegação de um conteúdo de SEO. Esses links são incorporados pelas âncoras posicionadas no corpo do texto, cada uma devendo conter as palavras-chave corretas e fazer com que o leitor deseje clicar.

Além do mais, outros blocos como cabeçalhos (na parte superior da página), rodapés (na parte inferior da página) e barras laterais (nos lados esquerdo e / ou direito) também devem conter elementos de navegação intuitivos: menus, destaques de tópicos, categorias, publicações mais recentes, recomendações de leitura personalizadas…

#6 Pontue o texto inserido

Para manter a atenção do usuário o máximo possível, algumas inserções no texto destacam informações específicas ou podem direcioná-las a outros recursos.

Seguem alguns exemplos de inserções:

  • Pontos-chave: essa técnica permite resumir as informações por meio de uma lista com marcadores, seja antes do artigo para dar uma resposta rápida ao internauta, seja como uma conclusão para melhor memorização.
  • É bom saber: esse destaque chama a atenção do leitor para o que ele realmente precisa levar em consideração a fim de aproveitar o conhecimento ou as habilidades compartilhadas no artigo.
  • Leia também: essa inserção reúne diversos recursos (internos e externos) para o usuário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto abordado ou sobre temas relacionados.
  • Síntese: Além de atrair a atenção, este recurso apresenta as ofertas comerciais podendo acrescentar valor no contexto do assunto abordado.

#7 Integre a imagem certa

Uma forma complementar para tornar seu conteúdo de SEO mais fácil de ler e, ao mesmo tempo, melhorar a experiência do usuário é distribuir várias figuras em seu artigo.

Exemplos de imagens para impulsionar seu conteúdo:

  • Fotos 
  • Ilustrações
  • Infográficos
  • Tabelas
  • Gráficos
  • Vídeos
  • Quizz.

Como uma imagem pode exigir um tempo de carregamento maior, sua presença se justifica especialmente para pontuar artigos longos ou ilustrar um ponto mais técnico. Uma figura a cada 1000 palavras é um bom direcionamento.

Novamente, uma imagem só deve ter lugar no conteúdo de SEO se ela agregar valor ao artigo. Por este motivo, as legendas e atributos de SEO (nome do arquivo, título da imagem, alt-text) devem ser preenchidos e ter um link direto com as palavras-chave desejadas.

#8 Evite a publicidade agressiva

Enquanto o marketing tradicional difundia os méritos de uma propaganda agressiva, os padrões mudaram drasticamente para alcançar o público-alvo.

Demonstrar sua expertise e construir uma relação de confiança é o método mais eficaz hoje.

O trabalho de um mecanismo de busca como o Google é, de fato, “combinar” o público com o serviço. Para isso, não são necessários pop-ups ou banners publicitários que podem incomodar o leitor. 

Lembre-se de que quanto mais tempo o leitor navegar em sua página, mais o Google vai reconhecer seu conteúdo e irá recompensar o site com melhores posições.

#9 Minimize o tempo de carregamento

Como mencionamos brevemente sobre as imagens e vídeos em seu conteúdo, é essencial otimizar o tempo de carregamento das páginas.

Em um mundo digital, cada décimo de segundo gasto, esperando que o seu conteúdo seja exibido, aumenta o risco do usuário mudar de ideia e desistir da leitura, o que por sua vez o faz perder pontos com o Google.

Alguns métodos e dicas para reduzir o tempo de carregamento são:

  • Ativar o cache do navegador mantém certos elementos do seu site na memória para que sejam carregados automaticamente sempre que o usuário retornar;
  • Habilitar o carregamento para que carregue apenas o conteúdo visível e, a partir do movimento da barra de rolagem, seja carregado o restante;
  • Optar pela rede de distribuição de conteúdo (CDN) fornece acesso a uma rede de servidores com menor latência, dependendo da área geográfica de destino;
  • Restringir extensões permite remover plug-ins que são usados ​​com pouca frequência ou substituir os mais pesados;
  • Reduzir o peso de suas imagens otimiza os formatos e dimensões com a ideia de conseguir o equilíbrio entre peso e qualidade.

#10 Aproveite o conteúdo interativo

Para ir ainda mais longe na perspectiva de adequar o conteúdo ao seu público, certos recursos fazem a diferença. A ideia é que não apenas a página de resultados do Google seja interativa, mas também os demais conteúdos da sua página.

Sendo assim, uma pergunta frequente (FAQ) colocada na parte inferior da página do formulário permitirá que o usuário encontre facilmente uma resposta precisa para uma intenção secundária.

É bom saber

esse tipo de prática é considerada como um rich snippet, ou seja, um fragmento passível de ser exibido na busca do Google. Isto quer dizer que a FAQ é um elemento que o mecanismo de busca pode pegar e exibir diretamente na página de resultados!

Da mesma forma, seu artigo de SEO não foi elaborado como você escreveria uma página manuscrita: então, aproveite o uso de alternadores de conteúdo. Dependendo de serem ativados ou não pelo leitor, eles exibirão o conteúdo de cada seção do seu artigo: um ganho de espaço e legibilidade!

Finalmente, dependendo do caso, alguns internautas buscarão uma solução adaptada ao seu perfil; neste caso, um questionário interativo seria uma ferramenta mais do que bem-vinda.

Tal iniciativa permite:

  • Adaptar seu conteúdo com base nas respostas do usuário (e, por extensão, melhore a UX de seu conteúdo de SEO);
  • Otimizar os dados de interação considerados pelo Google (e por extensão, impulsionar seu referenciamento SEO);
  • Envolver o usuário da internet em uma jornada de usuário personalizada (e, por extensão, gerar leads);
  • Para coletar dados mensuráveis ​​com o consentimento do usuário (e, por extensão, para entender melhor e direcionar seu público).


Agora você tem todo o conhecimento de que precisa para otimizar a UX de suas postagens no blog. Que tal testar nossos serviços de redação de SEO agora?

Maxime Parra
Maxime Parra